Page 99

A Defesa de Portugal 2015

A DEFESA DE PORTUGAL 2015 / As Forças Armadas Portuguesas 99 No domínio da museologia, a DHCM tem destacado o papel natural dos museus militares na função educativa, de fazer criar o interesse pelo património e pela História, particularmente a História Militar, junto das comunidades escolares e populações, fortalecendo os valores coletivos de Pátria e Nação. O Exército dispõe de seis museus militares, designadamente os Museus Militares dos Açores, de Bragança, de Elvas, de Lisboa, da Madeira e do Porto e 37 Coleções Militares Visitáveis em diferentes U/E/O. Os museus militares registaram, desde 2010, uma média anual de 86.520 visitantes, com especial destaque para o Museu Militar de Bragança, que registou uma média de 48.127 visitantes. O Exército congratula-se, ainda, com a recente credenciação dos Museus Militares de Elvas e do Porto, que pelo Despacho n.º 6946/2014, de 28 de maio, do Secretário de Estado da Cultura, passaram a integrar a Rede Portuguesa de Museus, símbolo inquestionável de qualidade e profissionalismo museológicos. No domínio da arquivística, o Exército, tem na sua orgânica o Arquivo Geral do Exército (ArqGEx) e o Arquivo Histórico- Militar (AHM). O ArqGEx, na sua qualidade de arquivo intermédio, tem à sua responsabilidade a documentação, individual e coletiva, com eventual interesse administrativo, num total de mais de 7.000.000 de processos que ocupam cerca de trinta quilómetros de prateleiras. O AHM possui e preserva toda a documentação que, pela sua antiguidade, tem interesse e valor histórico, de que se destaca o Fundo “Portugal e as Campanhas na Europa”, o Fundo “As Colónias/Ultramar” e o Fundo especial “A Iconografia e Fototeca”, tendo registado em 2014 um total de 9.066 documentos solicitados ao Arquivo, 1.992 consulentes na sua sala de leitura e 1.356 pedidos de investigação. No domínio da biblioteconomia, a Biblioteca do Exército tem conseguido promover, de modo acentuado, através do estabelecimento de parcerias e protocolos, no plano nacional e internacional, a divulgação do seu acervo documental e bibliográfico, contribuindo assim para a divulgação da História Militar, para a afirmação da língua portuguesa e para um melhor conhecimento do Exército no meio académico. Neste âmbito, o Exército em 2013 criou o Catálogo Coletivo das Bibliotecas do Exército, que integra e disponibiliza na internet os catálogos bibliográficos digitais da Biblioteca do Exército, da AM, da Direção de Infraestruturas, do CM, da Escola Prática dos Serviços, do Instituto Geográfico do Exército (IGeoE) e do Museu Militar do Porto e que, em 2014, registou uma média de 232.000 consultas por mês. No domínio do património imaterial, a DHCM desenvolve trabalhos de pesquisa histórica, genealogia, emblemática, vexilologia e de heráldica militar, contributos essenciais para a memória histórica das U/E/O e do Exército, de que se destacam a edição do livro “Armorial do Exército Português”, com dois volumes publicados (1996 e 2014) e a organização de três congressos de heráldica militar (2000, 2012 e 2014). Complementarmente, o Exército tem vindo com regularidade, através da DHCM e em apoio das autarquias onde tiveram lugar acontecimentos militares, a dinamizar e coordenar anualmente 11 cerimónias comemorativas de batalhas históricas que marcaram a História do Reino de Portugal desde a sua fundação, designadamente as enunciadas na página anterior. ÓRGÃOS MUSICAIS DO EXÉRCITO Os órgãos musicais do Exército, onde se inserem as Bandas Militares, as Fanfarras e a Orquestra Ligeira do Exército (OLE), na sequência de várias reorganizações foram sendo reduzidos desde 1999, existindo atualmente a Banda do Exército, com destacamentos no Porto e nos Arquipélagos da Madeira e dos Açores e a Fanfarra do Exército. Os órgãos musicais do Exército, em especial as Bandas Militares, registam anualmente uma intensa atividade com presenças nas cerimónias e atos militares, bem como nos múltiplos concertos levados a efeito um pouco por todo o País, alguns dos quais de caráter didático para os jovens alunos das escolas, com expressão evidente na valorização da imagem do Exército e na dignificação do cerimonial militar. A nível internacional, regista-se a atuação da Banda do Exército, em 1999, nas cerimónias de passagem da soberania de Macau para a China e da OLE em França (Troyes em 2000 e Paris/Lyon em 2004) e na Bósnia e Herzegovina em 2005. No período de 2005 a 2014, as Bandas Militares registaram 4.728 concertos e atuações em cerimónias militares, dos quais 1.302 foram realizados pela Banda do Exército e 371 pela OLE.


A Defesa de Portugal 2015
To see the actual publication please follow the link above