Page 65

A Defesa de Portugal 2015

A DEFESA DE PORTUGAL 2015 / As Forças Armadas Portuguesas 65 gestão e a aplicação de conhecimentos aos seus formandos. Para além de formar os quadros da Marinha, é procurado por entidades civis para a frequência dos cursos de formação de formadores, liderança, limitação de avarias, mergulho e hidrografia. Nesta última área de formação, a Escola de Hidrografia e Oceanografia é a única entidade certificada em Portugal, para formar hidrógrafos reconhecidos pela Organização Hidrográfica Internacional. As Escolas e Centros de Formação que integram o SFPM são os seguintes: • Escola de Tecnologias Navais; • Escola de Mergulhadores; • Escola de Fuzileiros; • Escola de Hidrografia e Oceanografia; • Centro Integrado de Treino e Avaliação Naval; • Centro de Instrução de Helicópteros; • Centro de Educação Física da Armada; • Centro de Instrução de Submarinos. A complexidade técnica dos meios navais, com os seus diversos sistemas, armas e sensores, e a autonomia necessária durante as navegações, nas áreas da logística e da manutenção, implicam que as guarnições sejam constituídas por marinheiros com diversas especializações profissionais. Assim, a formação na Marinha desempenha um papel fulcral, habilitando e mantendo os seus recursos humanos com um vasto número de competências. De entre estas, destacam-se as que habilitam para o desempenho, entre outras, das funções de cozinheiro, padeiro, técnico de informática, enfermeiro, eletromecânico, piloto de helicóptero, técnico de armamento e de operações, técnico administrativo, num total de 38 profissões de carreira para as categorias de oficial, sargento e praça. Na área da formação existem atualmente dois cursos, únicos no panorama nacional e raros no panorama internacional, que se debruçam sobre as atividades de fiscalização do espaço marítimo. Um, de cariz mais teórico, visa habilitar os formandos a planear e conduzir operações de fiscalização. O outro, mais prático, fornece as competências necessárias às equipas de vistoria para a concretização da ação de fiscalização propriamente dita, incluindo ação real, no mar. O SFPM forma anualmente cerca de 5000 militares e civis, com padrões de elevada qualidade, num processo contínuo de aprendizagem ao longo da vida, habilitando os formandos com competências pessoais, técnicas e militares para um desempenho eficaz das suas funções. Quando os militares da Marinha terminam a sua carreira ativa nas Forças Armadas, a sociedade em geral passa a beneficiar de um conjunto de recursos humanos altamente qualificados e aptos a desempenhar diversas profissões. Para além da Escola Naval e do SFPM, a Marinha proporciona também estágios a civis, que decorrem em diversas unidades, facultando aos interessados a possibilidade de ganhar experiência nas mais diversas áreas de intervenção.


A Defesa de Portugal 2015
To see the actual publication please follow the link above