Page 265

A Defesa de Portugal 2015

A DEFESA DE PORTUGAL 2015 / Outros contributos da e para a defesa nacional 265 A Liga dos Combatentes (LC) é uma pessoa coletiva de utilidade pública administrativa, sem fins lucrativos, de ideal patriótico e de caráter social, dotada de plena capacidade jurídica para a prossecução dos seus objetivos e exerce a sua atividade sob a tutela do Ministério da Defesa Nacional. São objetivos da LC, promover a exaltação do amor à Pátria e a divulgação, em especial entre os jovens, do significado dos símbolos nacionais, bem como a defesa intransigente dos valores morais e históricos de Portugal; promover o prestígio de Portugal, designadamente através de ações de intercâmbio com associações congéneres estrangeiras; promover a proteção e auxílio mútuo e a defesa dos legítimos interesses espirituais, morais e materiais dos seus sócios; cooperar com os órgãos de soberania e da Administração Pública com vista à realização dos seus objetivos, nomeadamente no que respeita à adoção de medidas de assistência a situações de carência económica dos associados e de recompensa daqueles a quem a Pátria deva distinguir por atos ou feitos relevantes praticados ao seu serviço; criar manter e desenvolver departamentos ou estabelecimentos de ensino, cultura, trabalho e solidariedade social em benefício geral do País e direto dos seus associados. 6.8.1. EXEMPLOS DE PLANOS ESTRUTURANTES APOIADOS PELO MDN Para concretização dos seus objetivos, a LC assenta todo o seu labor em Planos Estruturantes (PE), conceptualmente definidos, harmoniosamente estruturados e sustentados por protocolos celebrados com o Ministério da Defesa Nacional dos quais se destacam: 6.8.1.1. CONSERVAÇÃO DAS MEMÓRIAS A “Conservação das Memórias” constitui uma Missão da Liga dos Combatentes, apoiada e sancionada protocolarmente pelo Ministério da Defesa Nacional, procurando estender-se a todos os Países onde ocorreram situações de luta armada e os militares portugueses estiveram presentes - de 1914 a 1975 - Países nos quais foram erigidos monumentos evocativos ou sepultados militares portugueses. Essa Missão levou a LC a reconhecer locais ou Países e a atuar com ações de requalificação de que foram alvo monumentos, cemitérios, talhões e ossários, em conformidade ao que abaixo se designa: • França – Richebourg, Boulogne-Sur-Mer, La Couture, Salomé e Bauvin; • Bélgica - Antuérpia; • Reino Unido – Shorncliffe Military Cemetery, Newport Cemetery, Bristol Catholic Cemetery, Brighton Cemetery, Taunton Cemetery, Winchester Cemetery, Horsham Cemetery e Haslar Royal Navy Cemetery; • Cabo Verde - Ilha de São Vicente e ilha do Sal - cemitérios; • São Tomé e Príncipe - Ilha de São Tomé -Timor-Leste - cemitério; • República da Guiné-Bissau – ciclo concretizado. Para além de recordar os acontecimentos colectivos de tipologia bélica, o PE procura conservar e reparar monumentos evocativos, bem como cemitérios, criptas, talhões e ossários onde, em Portugal ou no estrangeiro, repousam combatentes do período já balizado. No caso de Portugal, esses conflitos fizeram tombar portugueses na Europa; em França, Bélgica, Reino Unido, Alemanha; em África, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Moçambique, Angola, Guiné-Bissau, na Índia e na Ásia: Timor e Macau. Alguns desses combatentes ainda se encontram exumados na Europa e em países de África, em locais territorialmente muito dispersos, em campas isoladas ou já sem identificação,


A Defesa de Portugal 2015
To see the actual publication please follow the link above