Page 247

A Defesa de Portugal 2015

A DEFESA DE PORTUGAL 2015 / Outros contributos da e para a defesa nacional 247 6.5.3 A MEDICINA AERONÁUTICA O Centro de Medicina Aeronáutica (CMA) é desde a sua criação uma entidade de referência na área da medicina aeronáutica e na prestação de cuidados diferenciados de saúde, procurando padrões de excelência no cumprimento da sua missão. Para além de apoiar, no âmbito da medicina aeronáutica, o pessoal empenhado na atividade aérea (Pessoal Navegante), de modo a serem asseguradas as melhores condições psicofisiológicas para o cumprimento da atividade operacional, incluindo o treino em câmara hiperbárica, compete ao CMA, no âmbito do seu contributo para a área da saúde em Portugal: • Desenvolver a atividade na seleção e manutenção da aptidão de pessoal da aeronáutica civil (Classes I, II e III) e de pessoal navegante da Autoridade Nacional de Proteção Civil (pilotos, recuperadores/salvadores e elementos da força especial de bombeiros), no âmbito da certificação médica do Instituto Nacional da Aviação Civil (INAC); • Assegurar a formação técnica na área da medicina aeronáutica e enfermagem de voo, com acesso a médicos e enfermeiros civis, através de protocolos aprovados; • Promover e assegurar a investigação e desenvolvimento nas áreas de fisiologia do voo e medicina aeronáutica, cooperando neste domínio com entidades e organismos militares e civis, nos termos dos acordos e convénios estabelecidos. 6.5.4 O TRATAMENTO INTENSIVO DE TOXICODEPENDÊNCIA E ALCOOLISMO A Unidade de Tratamento Intensivo de Toxicodependência e Alcoolismo (UTITA) é uma unidade especializada de tratamento e reabilitação psicossocial de alcoolismo e toxicodependências, integrada no Programa para a Prevenção e Combate à Droga e ao Alcoolismo nas Forças Armadas (PPCDAFA), promovendo a prontidão operacional e maximizando a eficácia dos membros das Forças Armadas. Desenvolve atividades de formação, de prevenção e clínicas, em regime ambulatório e residencial. A UTITA, unidade vocacionada para a terapêutica de comportamentos aditivos a doentes provenientes do mundo laboral, é detentora de um programa de tratamento intensivo de reabilitação psicossocial que compreende: • Avaliação pré-programa em ambulatório – com o objetivo de averiguar se existe um problema de uso nocivo e/ou dependência - adição, estabelecendo um diagnóstico, de carácter multidimensional, bem como um projeto de tratamento. Compreende: consulta de admissão (pelos enfermeiros); consulta com conselheiro focal; consultas de avaliação psicológica, médica e psiquiátrica; reunião com as famílias; e reunião com os operadores de prevenção; • Desintoxicação em ambulatório ou hospitalar (articulação com o HFAR / SNS); • Tratamento Residencial de Reabilitação Psicossocial em regime de internamento na UTITA (28 dias), com utilização de técnicas de aconselhamento, psicoterapia cognitivo-comportamental, psicopedagogia, intervenção espiritual, terapia familiar e exercício físico; • Reuniões semanais de prevenção de recaída durante 6 meses. Estes serviços são disponibilizados a militares e militarizados das Forças Armadas, sendo a capacidade sobrante disponibilizada às Forças de Segurança, a entidades protocoladas com a Marinha (incluindo o Ministério da Saúde) e a utentes que recorrem à UTITA a título particular, mediante autorização ou decisão superior. A UTITA tem, desde 2001, um protocolo com o Ministério da Saúde, através do então Serviço de Prevenção e Tratamento da Toxicodependência (SPTT), atual Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD). No quadro seguinte, ilustramos a evolução desta colaboração nos últimos anos. RESIDENTES DO SNS ANO M F TOTAL 2009 27 10 37 2010 31 3 34 2011 32 9 41 2012 13 2 15 2013 8 3 11 2014 6 4 10 TOTAL 117 31 148 Da análise do quadro relativo aos residentes do SNS, importa esclarecer que a diminuição do número de utentes admitidos está relacionada com as alterações no processo de admissão.


A Defesa de Portugal 2015
To see the actual publication please follow the link above