Page 184

A Defesa de Portugal 2015

184 Como objetivos concretos, para além do interesse expresso acima, destacam-se os seguintes: 1) reconhecimento da natureza do fundo marinho, com a individualização da bacia sedimentar e dos principais afloramentos rochosos (formações vulcânicas, corais, formações sedimentares); 2) inventariação e cartografia dos depósitos sedimentares; 3) caraterização dos processos de dinâmica sedimentar e sua interação com os processos geológicos e oceanográficos; 4) caracterização da qualidade ambiental na plataforma e vertentes continentais; 5) aumentar o conhecimento nas áreas de interesse nacional e promover atividades de desenvolvimento tecnológico e de investigação científica associadas às Ciências do Mar; 6) implementar e criar um arquivo de dados e amostras sedimentares, disponível para atividades de I&D de interesse nacional. No presente, foram já iniciados os trabalhos de reconhecimento e de caraterização remota do fundo marinho da zona envolvente às ilhas Selvagens, estando em preparação a primeira campanha de amostragem sedimentar, a realizar com um amostrador de grandes fundos. RAIA E RAIA.co Este projeto tem como objetivo contribuir para consolidar a oceanografia operacional na euro-região que inclui o Norte de Portugal e a Galiza, onde se localiza um dos mais importantes corredores marítimos mundiais e uma elevada percentagem do PIB depende dos setores ligados ao mar. O Observatório RAIA (Observatório Marinho da Margem Ibérica e do Litoral) pretende desenvolver e consolidar serviços operacionais para disseminação de dados oceanográficos, tais como a agitação marítima, as correntes e a temperatura da água do mar, de dados meteorológicos e de dados da qualidade da água, assentes em boias multiparâmetro de observação do ambiente e em modelos numéricos de previsão futura das condições ambientais, que possibilitem aos potenciais utilizadores do mar o apoio para a realização das suas atividades. Imagens representando a morfologia da folha SED Selvagens. Batimetria multifeixe (esquerda); e rugosidade do fundo, salientando as zonas mais ingremes e rugosas - tons azulados - e as zonas mais monótonas e aplanadas - tons alaranjados (à direita).


A Defesa de Portugal 2015
To see the actual publication please follow the link above