3.2.3 – Os Militarizados

A Defesa de Portugal 2015

A DEFESA DE PORTUGAL 2015 / Universo da Defesa Nacional 155 3.2.3. OS MILITARIZADOS Na Marinha e no Exército existem quadros de pessoal militarizado, os quais foram originados pela necessidade de satisfação de um conjunto de tarefas próprias desses Ramos num âmbito não especificamente militar, sendo que em 1995, foi autonomizado um destes grupos profissionais, dando origem à Polícia Marítima. O quadro de pessoal militarizado é integrado por elementos que realizam funções específicas estando sujeitos a um regime estatutário próprio. No âmbito do Exército, o quadro de pessoal militarizado encontra-se em extinção uma vez que os respetivos conteúdos funcionais são atualmente desempenhados por pessoal civil. As tabelas “Evolução de militarizados na Marinha e Exército, em 31 de dezembro de 1994, 1999, 2004, 2009 e em 2014” resumem as existências atrás referidas e a redução preconizada no quadro de pessoal militarizado do Exército, atualmente em processo de extinção, operada entre 1994 e 2014, por grupo profissional. EVOLUÇÃO DE MILITARIZADOS NA MARINHA, EM 31 DE DEZEMBRO de 1994, 1999, 2004, 2009 e em 2014 Grupos funcionais 1994 1999 2004 2009 2014 Polícia Marítima 286 480 489 591 Polícia dos Estabelecimentos de Marinha 115 121 119 115 Cabos de Mar 51 - - - - Troço do Mar 213 230 233 212 Práticos da Costa do Algarve 3 2 2 2 Faroleiros 159 176 150 143 Total 827 1.009 993 1.063 Fonte: Anuário Estatístico da Defesa Nacional 1994 e ramos das Forças Armadas Observações: Dados relativos a 2014 são provisórios EVOLUÇÃO DE MILITARIZADOS NO EXÉRCITO, EM 31 DE DEZEMBRO DE 1994, 1999, 2004, 2009 E EM 2014 Grupos profissionais 1994 1999 2004 2009 2014 Técnico-Profissional e Administrativo 83 39 14 - - Motorista 27 11 5 - - Tratador 8 7 5 5 2 Auxiliar de Serviços 56 21 3 - - Vigilante 30 16 1 - - Construção Civil 1 - - - - Serralharia 1 - - - - Armazém 1 - - - - Total 207 94 28 5 2 Fonte: Anuários Estatísticos da Defesa Nacional anos 1994,1999,2004 e 2009 e ramos das Forças Armadas


A Defesa de Portugal 2015
To see the actual publication please follow the link above