Saltar para o conteúdo principal
HOME
ATUALIDADE
MULTIMÉDIA
LIGAÇÕES
RESERVADO
INSTITUCIONAL
"Há uma nova estratégia para as indústrias e a economia de Defesa” 
 
 
Decorreu em Viseu, a conferência “Economia da Defesa – Uma oportunidade estratégica para Portugal”, organizada pela idD.
 

O ministro da Defesa Nacional presidiu ontem à conferência promovida pela Plataforma das Indústrias de Defesa Nacionais (idD) sobre o tema “Economia da Defesa”.

Nesta conferência participaram também, como oradores, o Presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, o Presidente da Eurodefence, António Figueiredo Lopes e o Presidente da Aeronautic, Space and Defence Federation (AED Portugal), José Cordeiro.

Durante a sua intervenção, José Pedro Aguiar-Branco afirmou que há uma “nova estratégia no âmbito da Defesa Nacional” enquadrada nas “áreas das indústrias e da economia da defesa” e que esta deverá funcionar como uma “alavanca de todo o tecido empresarial” português, pela sua “competência e excelência”.

O ministro da Defesa Nacional considerou que o “clima internacional” atual, marcado por fortes ameaças e conflitos, deverá constituir “uma oportunidade para a afirmação das empresas” nacionais, sobre as quais existe falta de informação ou desconhecimento.

“Há um mundo de oportunidades associadas ao modelo do tecido empresarial” que Portugal tem mas que não é suficientemente explorado, bastava que as empresas “estivessem referenciadas nessas agências de procurement, por parte da NATO”, para depois serem divulgadas pelos 28 estados membros, frisou José Pedro Aguiar-Branco.

O ministro da Defesa Nacional relembrou ainda que “esta nova dinâmica de Defesa” é nacional mas também Europeia e sustentada pelos pilares “político, económico e financeiro”, por se tratar de “uma afirmação de natureza estrutural".

Nas intervenções que o antecederam, o presidente da Câmara Municipal de Viseu destacou o papel das empresas do concelho na dinamização da economia nacional e na criação de emprego, enquanto o presidente da Eurodefence destacou o fato de existir "um mercado de defesa" com uma grande importância estratégica.

O presidente da AED Portugal, por sua vez, apresentou uma síntese do investimento em Defesa, numa escala mundial, e destacou o fato de Portugal não ser visto como uma ameaça estratégica, mas antes "como um parceiro credível" para esses países.

As conferências IDD prosseguem até ao dia 3 de junho, estando a próxima agendada para o próximo dia 17, em Faro.

Atualizado em: 03-03-2015 18:36 
QUEM SOMOS CONTACTOS MAPA DO SITIO
Desenvolvido por ATASA, Centro de Dados da Defesa/SG/MDN @ 2012 Defesa Nacional - Optimizado para Internet Explorer