Saltar para o conteúdo principal
HOME
ATUALIDADE
MULTIMÉDIA
LIGAÇÕES
RESERVADO
INSTITUCIONAL
Diretor-Geral de Recursos da Defesa Nacional toma posse 
 
 
Decorreu, no salão nobre do Ministério da Defesa Nacional, a cerimónia de tomada de posse dos Dirigentes da nova Direção Geral de Recursos da Defesa Nacional.
 

Realizou-se esta manhã a cerimónia de tomada de posse do Diretor-Geral de Recursos da Defesa Nacional (DGRDN), cargo assumido por Alberto Coelho. Tomaram ainda posse na mesma cerimónia, para os cargos de Subdiretores Gerais da DGRDN, Henrique Castanheira Macedo e Maria da Luz Passanha, e para o cargo de Secretário-Geral Adjunto, António José Gameiro Marques.

Perante os presentes, o ministro da Defesa Nacional, que deu posse aos dirigentes, disse acerca das reformas que têm vindo a ser implementadas que “a reforma estrutural" que as Forças Armadas estão a viver são "um exemplo para o País” e que “a distância que vai entre o que se diz e o que se faz, na dimensão da Defesa Nacional e, mais em concreto, nas Forças Armadas, é muito curta”.

“Temos, pela primeira vez, em democracia, um quadro que é coerente nesta reforma”, frisou José Pedro Aguiar-Branco, acrescentando que “começou no Conceito Estratégico de Defesa Nacional e termina numa revisão da Lei de Programação Militar” e “do EMFAR, com um corpo coerente, quer na sua dimensão orgânica, quer na sua dimensão operacional, quer na sua dimensão de meios”.

Ainda durante o seu discurso, e na presença de todos os Chefes Militares, a propósito das reformas em curso na Defesa Nacional na sua “dimensão orgânica”, o responsável por esta pasta referiu que as mesmas “vão ser concretizadas em benefício das pessoas que aqui trabalham e do País, no seu todo”.

“A implementação destas orgânicas vai exigir de todos nós a mesma determinação, o mesmo empenhamento numa tarefa que é agora muito mais real, muito mais concreta, muito mais prática e, por isso muito, mais exigente” disse. 

A tomada de posse dos novos dirigentes foi precedida pela imposição de insígnia de condecoração ao Diretor-Geral de Armamento e Infraestruturas da Defesa cessante, Manuel Gravilha Chambel, tendo o ministro da Defesa Nacional destacado as suas características humanas e competências profissionais, num “período especial para o País”.

“A história fez-nos cruzar precisamente num momento muito difícil na vida do País e eu sou testemunha das elevadas competências profissionais do Senhor General Chambel, da dedicação e empenho com que abraçou as funções que tinha que desempenhar, a capacidade de diálogo que sempre revelou nas diferentes esferas onde se tinha que expressar, a equidistância que na sua missão tem uma particular relevância, tendo em conta a matéria que trata e com tudo isto, o sentido de dever que é, a meu ver, o que distingue a excelência do militar que o General Chambel é”, disse José Pedro Aguiar-Branco.

Atualizado em: 14-01-2015 19:36 
QUEM SOMOS CONTACTOS MAPA DO SITIO
Desenvolvido por ATASA, Centro de Dados da Defesa/SG/MDN @ 2012 Defesa Nacional - Optimizado para Internet Explorer