Saltar para o conteúdo principal
HOME
ATUALIDADE
MULTIMÉDIA
LIGAÇÕES
RESERVADO
INSTITUCIONAL
“As Forças Armadas não se podem consumir em matérias de natureza administrativa.” 
 
 
Aguiar-Branco disse hoje no Parlamento que a instituição militar precisa de “mais operacionalidade" e que essa discussão não pode ficar condicionada "por quem se amarra às memórias do passado".
 

No debate sobre as Grandes Opções do Conceito Estratégico de Defesa Nacional (CEDN), que decorreu no Parlamento, o Ministro da Defesa Nacional defendeu a necessidade das Forças Armadas responderem aos novos desafios suscitados pelo novo Conceito Estratégico. Para José Pedro Aguiar-Branco, trata-se de um documento com “uma visão para a próxima década” e que vai "muito para além dos ciclos governativos".

Durante o debate, o responsável pela pasta da Defesa disse que as Forças Armadas "não podem consumir-se em matérias de natureza administrativa", insistindo na necessidade de reequilibrar o rácio desproporcionado entre despesas com pessoal e administrativas e a operacionalidade. Recorde-se que numa recente entrevista, o ministro chamou a atenção para o facto de 80% do orçamento das FA se traduzirem em gastos com pessoal, enquanto que somente 15-20% se destinam às operações.

"Não podemos deixar que o debate se fique por teses construídas em cima de impressões ou que o necessário processo de readequação seja condicionado por quem se amarra às memórias do passado", afirmou no Parlamento José Pedro Aguiar-Branco.

 

Intervenção do Ministro da Defesa Nacional no encerramento do debate do CEDN

 

Atualizado em: 09-03-2013 14:33 
QUEM SOMOS CONTACTOS MAPA DO SITIO
Desenvolvido por ATASA, Centro de Dados da Defesa/SG/MDN @ 2012 Defesa Nacional - Optimizado para Internet Explorer