Saltar para o conteúdo principal
HOME
ATUALIDADE
MULTIMÉDIA
LIGAÇÕES
RESERVADO
INSTITUCIONAL
Secretário de Estado da Defesa Nacional inaugura Estação Salva-Vidas de Lisboa 
 
 
O Secretário de Estado da Defesa Nacional, Marcos Perestrello, visitou na passada segunda-feira os projetos em curso da Autoridade Marítima Nacional, finalizando o dia com a inauguração da Estação Salva-vidas de Lisboa.

O Secretário de Estado da Defesa Nacional, Marcos Perestrello, visitou na passada segunda-feira os projetos em curso da Autoridade Marítima Nacional, finalizando o dia com a inauguração da Estação Salva-vidas de Lisboa.

O governante foi recebido pelo Diretor do Instituto de Socorros a Náufragos, o Capitão de Mar e Guerra Paulo Costa. Marcos Perestrello verificou as valências da estação e entregou os certificados que habilitam o pessoal do Troço do Mar a operar com os meios de salvamento com que vão garantir a salvaguarda da vida humana no mar.
Estas novas instalações da Estação Salva-vidas encontram-se equipadas com material técnico de socorro e salvamento, apoio cartográfico - para intervenção da embarcação salva-vidas com uma maior eficiência -, e equipamento de comunicações e informática. Para Marcos Perestrello, a entrada em funcionamento desta Estação Salva-Vidas permite “dar melhores condições na concentração de pessoal, no exercício das suas funções”.

Projeto “Costa Segura”

Acompanhado pelo Chefe de Estado-Maior da Armada, o Almirante Luís Fragoso, e pelo Diretor-Geral da Autoridade Marítima, o Vice-Almirante António Silva >ribeiro, o Secretário de Estado da Defesa Nacional visitou a Direção de Faróis, onde lhe foi apresentado um módulo radar do projeto “Costa Segura”, que está a ser desenvolvido pela Autoridade Marítima Nacional. Este projeto integra informação radar, Automatic Identification System (AIS), num único interface georreferenciado - carta eletrónica-, que pode ser visualizado quer numa estação local, quer num centro de monitorização e controlo remoto.

Este sistema operacional de apoio à decisão pode revelar-se crucial em ações de busca e salvamento em barras marítimas e em zonas costeiras na jurisdição das Capitanias. Por razão de economia de meios, essas estações deverão ser instaladas em infraestruturas já pertencentes à Autoridade Marítima Nacional, como sejam os faróis distribuídos ao longo da costa - o que se enquadra no conceito de farol como Centro de Serviços Marítimos - ou outros edifícios das Capitanias existentes em lugares estratégicos. Pretende-se implementar o sistema em todas as áreas de interesse na costa Portuguesa ao longo de quatro anos.

Está também em curso o projeto de co-localização das instalações da Direção de Faróis e do Instituto de Socorros a Náufragos, em Paço de Arcos, com vista à centralização de estruturas de apoio e economia de meios.

Atualizado em: 24-03-2016 08:44 
QUEM SOMOS CONTACTOS MAPA DO SITIO
Desenvolvido por ATASA, Centro de Dados da Defesa/SG/MDN @ 2012 Defesa Nacional - Optimizado para Internet Explorer