Saltar para o conteúdo principal
HOME
ATUALIDADE
MULTIMÉDIA
LIGAÇÕES
RESERVADO
INSTITUCIONAL
Portugal e Marrocos exploram novas perspetivas de cooperação 
 
 
O Ministro da Defesa deslocou-se a Marrocos onde se encontrou com o Ministro Delegado junto do Primeiro-Ministro para a Administração dos Assuntos de Defesa, Abdellatif Loudiyi, e com o Inspetor-Geral das Forças Armadas, General Abdalfattah Luarak

"No combate à poluição ou nas questões da segurança marítima, como nas questões do salvamento marítimo, nós temos bastante a propor a Marrocos e podemos beneficiar também de uma cooperação mais intensa com Marrocos”, afirmou esta segunda-feira o Ministro da Defesa Nacional, José Alberto Azeredo Lopes.

O Ministro da Defesa deslocou-se a Marrocos onde se encontrou com o Ministro Delegado junto do Primeiro-Ministro para a Administração dos Assuntos de Defesa, Abdellatif Loudiyi, e com o Inspetor-Geral das Forças Armadas, General Abdalfattah Luarak, com o desenvolvimento das Indústrias de Defesa, o reforço da cooperação ao nível da marítima e os desafios de segurança internacional na agenda.

Marrocos tem apostado no desenvolvimento da sua Marinha, sendo o principal cliente do Arsenal do Alfeite a seguir à Marinha Portuguesa. Azeredo Lopes acredita que as capacidades da Marinha Portuguesa e o seu conhecimento podem ser uma mais-valia para a Marinha Real. Durante a visita oficial do Ministro, na qual esteve presente o Chefe do Estado-Maior da Armada, Almirante Silva Ribeiro, Marrocos mostrou interesse no Programa Costa Segura e na capacidade submarina portuguesa.

A possibilidade de estender a cooperação a missões e novos exercícios foi igualmente abordada durante a visita, nomeadamente ao nível das Operações Especiais e de forças de reação rápida: "Portugal tem competências muito desenvolvidas neste domínio, quer através dos paraquedistas, quer através dos fuzileiros, dos ‘rangers’, quer através dos comandos e nós verificámos um interesse muito forte, ficámos de trabalhar”.

Uma das missões abordadas em que os dois países poderiam trabalhar em conjunto foi a missão da ONU na República Centro-Africana, que conta atualmente com 700 militares marroquinos: ”lancei o desafio de Marrocos poder ponderar a participação com Portugal e com uma força de dimensão e capacidade equivalente na República Centro-Africana, porque me parece que é aí que nós podemos testar, reforçar capacidades e comparar `standards´”, nomeadamente através da criação de uma força de dimensão e capacidade equivalente à da companhia de comandos para trabalhar no mesmo teatro de operações”, adiantou Azeredo Lopes.

A visita oficial terminou a bordo da Fragata Álvares Cabral que participa no Exercício Al Cantara com a fragata Mohamed VI, que tem como objetivo treinar várias áreas da guerra naval convencional, como a luta antissubmarina. Ao nível multilateral, para além das Nações Unidas, os dois países colaboram no seio da Iniciativa 5+5 Defesa e da NATO, uma vez que Marrocos integra o Diálogo do Mediterrâneo.

Desde 2012, o Arsenal do Alfeite já reparou três navios da Marinha Real de Marrocos. Em março de 2017, atracou no Alfeite o Navio Patrulha Rais Charkaoui, que deverá estar concluído antes do final do ano, sendo o primeiro de três navios marroquinos previstos para reparação este ano.

Portugal e Marrocos celebram em 2017 vinte e quatro anos desde a assinatura do Acordo de Cooperação Bilateral em matéria de Defesa, a que se seguiram o Tratado da Amizade, Boa Vizinhança e Cooperação, Acordos Técnicos entre os Exércitos, Marinhas e Forças Aéreas, Declaração Conjunta sobre Cooperação em matéria de Segurança Marítima, estabelecimento de um mecanismo de alerta rápido de combate à poluição marítima e ainda um Acordo Técnico relativo à cooperação no domínio do Património, da História Militar e da Museologia. Os laços históricos existentes entre os dois países, associados aos desafios comuns têm contribuído para um reforço gradual da cooperação.

 

Atualizado em: 09-05-2017 11:39 
QUEM SOMOS CONTACTOS MAPA DO SITIO
Desenvolvido por ATASA, Centro de Dados da Defesa/SG/MDN @ 2012 Defesa Nacional - Optimizado para Internet Explorer