Saltar para o conteúdo principal
HOME
ATUALIDADE
MULTIMÉDIA
LIGAÇÕES
RESERVADO
INSTITUCIONAL
Ministro da Defesa francês destaca "aliança preciosa" de Portugal no combate ao terrorismo transnacional 
 
 
“Portugal é um aliado precioso da França”, afirmou o ministro da Defesa francês, Jean-Yves de Drian, em Paris.
  

“Portugal é um aliado precioso da França”, afirmou o ministro da Defesa francês, Jean-Yves de Drian, considerando a presença do ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes, esta tarde, em Paris, um sinal claro da “proximidade indefetível entre os dois países”.

O Ministro da Defesa francês destacou a “presença contínua de Portugal nas missões da UE no Mali e na República Centro-Africana” e agradeceu a resposta do Governo português à invocação da cláusula de ajuda mútua após os atentados de Paris de 13 de novembro último, designadamente com a disponibilidade para integrar a missão das Nações Unidas na República Centro-Africana (MINUSCA).

Azeredo Lopes sublinhou o facto de a decisão de integrar a MINUSCA, com uma companhia até 160 militares, ter sido tomada ao “mais alto nível político e militar” e procurar não só responder à invocação da cláusula de ajuda mútua prevista no artigo 42.º/7 do Tratado da União Europeia, mas também “reforçar a participação em operações no quadro das Nações Unidas”. A decisão foi tomada na última reunião do Conselho Superior de Defesa Nacional, realizada no passado dia 24 de março

“Os próximos três meses”, declarou o Ministro da Defesa Nacional, “serão essenciais para a adaptação do futuro mandato da MINUSCA”, bem como para a definição do “tipo de apoio operacional que poderemos ainda obter por parte da França”, acrescentou, em declarações aos jornalistas no final do encontro com o seu homólogo francês.

Sobre a atuação conjunta noutra área de interesse mútuo, o Golfo da Guiné, ambos os ministros reiteraram a intenção de manter a cooperação política e operacional para reforçar a segurança marítima na região, no âmbito das iniciativas do Grupo de Amigos do G7++ para o Golfo da Guiné, cuja presidência é presentemente assumida por Portugal.

“A operacionalização da arquitetura regional de segurança", afirmou Azeredo Lopes, constitui um dos principais objetivos da presidência portuguesa deste grupo do G7++.

A revisão do mandato da operação na Líbia, EUNAVFORMED/SOPHIA, na qual Portugal participa com um avião P3, operado por 30 militares, e um submarino, e a Estratégia Global da União Europeia foram outros temas abordados no encontro bilateral, que reuniu os dois ministros da Defesa, esta tarde, durante cerca de  2 horas em Paris.

Atualizado em: 25-05-2016 10:19 
QUEM SOMOS CONTACTOS MAPA DO SITIO
Desenvolvido por ATASA, Centro de Dados da Defesa/SG/MDN @ 2012 Defesa Nacional - Optimizado para Internet Explorer