Saltar para o conteúdo principal
HOME
ATUALIDADE
MULTIMÉDIA
LIGAÇÕES
RESERVADO
INSTITUCIONAL
Ministro da Defesa elogia em Moçambique militares portugueses na República Centro-Africana 
 
 
O terceiro dia da visita do Ministro da Defesa a Moçambique ficou marcado por um rasgado elogio ao trabalho dos militares portugueses destacados na República Centro-Africana ao serviço das Nações Unidas.
 

O terceiro dia da visita do Ministro da Defesa a Moçambique ficou marcado por um rasgado elogio ao trabalho dos militares portugueses destacados na República Centro-Africana ao serviço das Nações Unidas.

“Não consigo esconder o profundo orgulho sentido, já aqui em Moçambique, quando tomei conhecimento da carta de louvor do comandante da Minusca, na qual destacou o sacrifício e a coragem dos militares portugueses”, disse José Azeredo Lopes durante a palestra que proferiu na Academia Militar Marechal Samora Machel, em Nampula.

Perante mais de 400 militares, o Ministro da Defesa Nacional reconheceu que, ainda assim, “o aspeto mais importante foi a capacidade de salvar milhares de pessoas, quaisquer que fossem as suas origens, etnia, religião ou proveniência”, para logo acrescentar: “Salvaram católicos, como salvaram muçulmanos, da violência cega cometida por grupos selváticos.”

Dirigindo-se aos cadetes, Azeredo Lopes deixou um apelo: “Se alguma vez tiverem de tomar a decisão difícil de usar a força, nunca se esqueçam que há força brutal ilegítima e há a força legítima, aquela que respeita as regras e valores”.

O novo Programa-quadro de Cooperação no domínio da Defesa (2018-2021), assinado na segunda-feira em Maputo, prevê o apoio das Forças Armadas de Portugal à Academia Militar Marechal Samora Machel, mas a principal novidade reside na possibilidade de militares das Forças Armadas de Defesa de Moçambique poderem vir a integrar contingentes portugueses empenhados em missões de apoio à Paz ou Humanitárias.

Portugal tem atualmente na República Centro Africana um destacamento formado por 160 militares do Exército (sobretudo Comandos) mas também da Força Aérea (controladores aéreos avançados) que constituem a Força de Reação Rápida às ordens do Comandante da Minusca, o tenente-general senegalês Balla Keita.

Esta quinta-feira, a visita do Ministro da Defesa prossegue com uma deslocação à Fortaleza da Ilha de Moçambique, regressando posteriormente a Maputo, onde, já na sexta-feira, encerrará o programa na Escola Prática de Aviação.

Atualizado em: 16-03-2018 07:30 
QUEM SOMOS CONTACTOS MAPA DO SITIO
Desenvolvido por ATASA, Centro de Dados da Defesa/SG/MDN @ 2012 Defesa Nacional - Optimizado para Internet Explorer