Saltar para o conteúdo principal
HOME
ATUALIDADE
MULTIMÉDIA
LIGAÇÕES
RESERVADO
INSTITUCIONAL
Militares portugueses reforçam missão NATO na Lituânia 
 
 
Alberto Azeredo Lopes despediu-se ontem, no aeroporto de Figo Maduro, em Lisboa, de 108 militares do Regimento de Artilharia Nº 4, que partiram para a Lituânia.
 

O Ministro da Defesa Nacional, José Alberto Azeredo Lopes, despediu-se ontem, no aeroporto de Figo Maduro, em Lisboa, de 108 militares do Regimento de Artilharia Nº 4, que partiram para a Lituânia, onde vão integrar a missão Assurance Measures da NATO durante os próximos quatro meses, de 1 de julho a 31 de outubro.

Os 108 militares do Regimento de Artilharia Nº4, da Brigada de Reação Rápida, vão constituir a bateria de artilharia ligeira da Assurance Measures 2016, composta por 120 militares, 14 dos quais mulheres. Esta será a primeira vez que Portugal empenha uma bateria de artilharia no âmbito das Assurance Measures, que desempenhará uma função de dissuasão no contexto global desta missão internacional.

Na despedida o Ministro da Defesa sublinhou a qualidade e capacidade das Forças Armadas portuguesas. “Nós estamos entre os melhores, nós dispomos dos melhores”, afirmou Azeredo Lopes, considerando que o trabalho desempenhado pelos militares portugueses em missões internacionais é a demonstração evidente de “um país competente, um país capaz, que disponibiliza aqueles que melhor tem e que honram o nome de Portugal”.

Para Azeredo Lopes, o envio desta força para a Lituânia é “a afirmação de um compromisso, da unidade da Aliança Atlântica num desígnio com o qual somos solidários”. “o Governo acredita firmemente que, nos tempos conturbados e difíceis que vivemos no flanco leste da NATO, hoje damos um sinal muito claro de crédito e de capacidade com a deslocação desta bateria de artilharia de campanha”, afirmou o Ministro da Defesa, acrescentando que “o flanco sul deve ser, pelo menos, uma prioridade tão significativa quanto o flanco leste, como tragicamente foi mais uma vez lembrado pelo recente atentado no aeroporto de Istambul”.

À semelhança do que ocorreu no ano de 2015, Portugal mantém o empenhamento de meios militares em apoio à NATO, cumprindo os compromissos assumidos com os seus aliados. Recorde-se que o Governo autorizou as Forças Armadas a empregar e sustentar uma unidade naval e uma bateria de artilharia de campanha, como contributo nacional nas missões da NATO no âmbito das Assurance Measures, em 2016.

Em 2015, Portugal contribuiu para a concretização das Assurance Measures com um reforço da presença terrestre na Lituânia de 140 militares equipados com viaturas de rodas Pandur II do Esquadrão de Reconhecimento do Regimento de Cavalaria de Braga, da Brigada de Intervenção do Exército, durante 4 meses. O país participou também na Roménia durante dois meses no reforço do policiamento aéreo com quatro aeronaves F-16 e 91 militares.

As Assurance Measures são compostas por uma série de atividades terrestres, marítimas e aéreas, desenhadas para reforçar a defesa, assegurar a população, e dissuadir potenciais agressões. Estas foram criadas como consequência da situação da crise na Ucrânia em 2014 e das novas necessidades de defesa que os desenvolvimentos a leste têm feito sentir. Esta abordagem traduz-se na evolução e adaptação da Aliança à sensibilidade dos futuros desafios, através de uma presença contínua em terra, mar e ar.

Atualizado em: 19-07-2016 20:32 
QUEM SOMOS CONTACTOS MAPA DO SITIO
Desenvolvido por ATASA, Centro de Dados da Defesa/SG/MDN @ 2012 Defesa Nacional - Optimizado para Internet Explorer