Saltar para o conteúdo principal
HOME
ATUALIDADE
MULTIMÉDIA
LIGAÇÕES
RESERVADO
INSTITUCIONAL
FORÇAS ARMADAS APOIAM NA PREVENÇÃO E COMBATE DE INCÊNDIOS 
 
 
A Marinha, o Exército e a Força Aérea com meios humanos e materiais envolvidos na prevenção e no combate aos fogos florestais em todo o país.
 

Este verão, à semelhança de anos anteriores, diversos têm sidos os meios que os três ramos das Forças Armadas têm disponibilizado na vigilância, prevenção e combate a incêndios.

O Exército, no âmbito do apoio à Autoridade Nacional de Proteção Civil, já empenhou até ao momento nas operações de combate aos incêndios florestais cerca de 849 militares e 113 viaturas. Nos dias 21 e 22 de agosto o Exército teve no terreno, em operações de consolidação, vigilância ativa e colaboração com as autoridades locais, um total de 66 militares e 9 viaturas, nas regiões de Góis (Coimbra) e Castro d’Aire (Viseu) e de Boticas (Vila Real).

Aos efetivos e meios anteriormente referidos acrescem ainda os militares e meios empenhados em ações de patrulhamento e vigilância física no Continente e na Região Autónoma da Madeira, com um empenhamento diário nas regiões de Gerês da Serra D’Arga, Serra da Cabreira, Amarante e Serra do Marão, Serra do Alvão, Serra de Montesinho, Serra da Freita, Serra da Estrela Perímetro florestal de Alge e Penela/Góis, Serra do Caramulo, Serra de Montemuro, Matas Nacionais de Leiria, Serra D’Aire e Candeeiros, Serra da Malcata, Serra de Monchique, Serra de Sintra, Tapada Nacional Mafra, Serra de Santa Luzia, bem como nas regiões de Santa Cruz, Ribeira Brava e Calheta, num total de 436 militares e 157 viaturas.

No dia 21 de agosto a Força Aérea empenhou, a pedido da Autoridade Nacional de Proteção Civil, um helicóptero ALOUETTE III, operado pela Esquadra 552, para apoiar as operações de combate aos incêndios que deflagraram no distrito de Viseu. A tripulação do ALOUETTE concluiu a sua missão pelas 18H45, tendo sobrevoado durante cerca de cinco horas as áreas onde existiam frentes ativas de forma a apoiar, partindo da observação aérea, o Comando das Operações de Socorro.

A Marinha, nomeadamente através do Corpo de Fuzileiros, está empenhada no patrulhamento e vigilância do Parque Natural da Serra da Arrábida, com meios motorizados e diverso equipamento de vigilância diurna e noturna, numa missão que visa a prevenção de incêndios naquela área protegida.

Atualizado em: 22-08-2013 17:25 
QUEM SOMOS CONTACTOS MAPA DO SITIO
Desenvolvido por ATASA, Centro de Dados da Defesa/SG/MDN @ 2012 Defesa Nacional - Optimizado para Internet Explorer