Saltar para o conteúdo principal
HOME
ATUALIDADE
MULTIMÉDIA
LIGAÇÕES
RESERVADO
INSTITUCIONAL
Emprego dos fuzileiros será intensificado em 2018 
 
 
O Secretário de Estado da Defesa Nacional, Marcos Perestrello, esteve presente na imposição de boinas aos 52 fuzileiros que completaram os nove meses de curso.
 

O Secretário de Estado da Defesa Nacional, Marcos Perestrello, esteve presente na imposição de boinas aos 52 fuzileiros que completaram os nove meses de curso. Durante uma das mais simbólicas cerimónias da Marinha Portuguesa, que decorreu no dia 4 de outubro, na Escola dos Fuzileiros em Vale de Zebro, destacou a competência e o profissionalismo desta “unidade de elite” e anunciou que em 2018 haverá um reforço das suas missões.

O Secretário de Estado anunciou que se prevê, para o próximo ano, o empenhamento do Patrulha ‘Zaire’, no mar de S. Tomé e Príncipe, em estreita colaboração com a Guarda Costeira daquele país, tendo embarcado o destacamento de fuzileiros: “trata-se de uma ação de cooperação no quadro dos países da língua portuguesa, no âmbito da cooperação de defesa e dos esforços internacionais de capacitação dos países ribeirinhos na área do Golfo da Guiné, em especial, para o desenvolvimento da segurança marítima”.

O contributo dos fuzileiros nas assurance measures da NATO é a grande novidade quanto empenho desta força para 2018. O Secretário de Estado, Marcos Perestrello, justifica a participação destes na missão de dissuasão na Lituânia pela vitalidade da “unidade e indivisibilidade” da Europa, considerando “absolutamente imperioso defender a ordem internacional.”

Para o Chefe do Estado-Maior da Armada (CEMA), Almirante Silva Ribeiro, esta missão na Lituânia “abre perspetivas”. "De facto são estas missões que justificam o esforço todo que se faz durante o ano de treino e de preparação para este tipo de desempenhos e os fuzileiros já há alguns anos que não tinham missões internacionais desta dimensão e desta envergadura no exterior".

O Almirante Silva Ribeiro congratulou-se com "o significativo apoio político que o governo está a dar ao emprego dos fuzileiros em missões reais", que "será intensificado em 2018", dando um novo folgo aos fuzileiros que "têm estado muito confinados a missões em navios no golfo da Guiné", considerou o CEMA.

O momento de imposição de boinas aos fuzileiros aos 52 fuzileiros – 8 oficiais e 44 praças – foi um momento emotivo para as famílias e amigos destes novos fuzileiros, cuja forte presença e apoio se fez sentir em torno da parada “Almirante Roboredo e Silva”. A cerimónia terminou com um desfile dos militares e um simulacro de busca e salvamento, no qual foi utilizado um helicóptero Lynx.

Atualizado em: 30-10-2017 15:31 
QUEM SOMOS CONTACTOS MAPA DO SITIO
Desenvolvido por ATASA, Centro de Dados da Defesa/SG/MDN @ 2012 Defesa Nacional - Optimizado para Internet Explorer