Saltar para o conteúdo principal
HOME
ATUALIDADE
MULTIMÉDIA
LIGAÇÕES
RESERVADO
INSTITUCIONAL
Dia da Força Aérea celebrado em Évora 
 
 
O Ministro da Defesa Nacional, José Azeredo Lopes realçou o esforço e o trabalho desenvolvido no último ano, pelos militares da Força Aérea Portuguesa e o papel deste ramo no projeto KC-390.
 

O Ministro da Defesa Nacional, José Azeredo Lopes, considerou que a missão da Força Aérea Portuguesa (FAP) ao serviço de Portugal e dos portugueses “é mais das vezes silenciosa e discreta, porque muitas das vezes é capacitadora e facilitadora da ação de outros”.

Azeredo Lopes, na sua intervenção durante a cerimónia militar do 66º Aniversário da Força Aérea Portuguesa, este sábado, na Praça do Giraldo, em Évora, realçou que no ano passado, a Força Aérea realizou mais de 18 mil horas de voo, transportou mais de 600 doentes, em terra ou no mar, realizou mais de 30 missões de transporte de órgãos e completou mais de 30 operações de Busca e Salvamento.

“São ações que não são abstratas. São ações concretas, missões concretas, horas e minutos concretos em que a ação da FAP tocou vidas concretas, de pessoas concretas, de famílias concretas”, destacou.

O governante fez ainda questão de recordar os mais de 120 militares da Força Aérea que se encontram empenhados em missões no estrangeiro, seja nas Forças Nacionais Destacadas ou na Missões de Cooperação no domínio da Defesa.  

“Em África, nos Bálticos, no Mediterrâneo, no quadro das ONU, da UE, da NATO, de Coligações Multilaterais ou no âmbito da Cooperação Bilateral com países amigos, as Forças Armadas Portuguesas e a FAP fazem a diferença”, elogiou Azeredo Lopes, acrescentando que “servindo de forma exemplar, assumindo sem hesitar aquela que é a sua condição militar, contribuem de modo efetivo, de modo palpável, de modo real para a paz e para a segurança internacionais”.

Na sua intervenção, o Ministro da Defesa considerou também fundamental o papel da FAP no projeto KC-390, elogiando o “contributo que tem dado para a formulação dos requisitos operacionais e logísticos” desta aeronave.

O projeto KC-390 é o “primeiro programa de aeronáutica com engenharia portuguesa”, tendo resultado em “mais de 450 mil horas de trabalho de engenharia desenvolvida em Portugal, concretamente no Centro de Excelência de Inovação da Indústria de Automóvel (CEIIA), envolvendo outras 14 empresas de vários pontos do país”, frisou.

Para Azeredo Lopes, o “novo impulso no investimento em Defesa, no âmbito da União Europeia e da NATO é um “voo” que Portugal não pode perder”, considerando que o “setor aeronáutico e o projeto da aeronave KC-390 são dois exemplos da importância do investimento nesta área”.

O Chefe de Estado-Maior da Força Aérea, General Teixeira Rolo, dirigiu as suas primeiras palavras de apreço a todos os militares e civis da FAP, “pelo extraordinário compromisso, mestria, devoção e até audácia que têm demonstrado no cumprimento das missões e nas tarefas atribuídas seja em território nacional ou nas diferentes Organizações em contextos internacionais onde Portugal participa”.

Teixeira Rolo, garantiu ainda que a FAP continuará sempre a servir e a ser útil aos portugueses permanecendo fiel às suas tradições e atitudes, demonstrado acima de tudo, a resiliência do nosso espírito, identidade e valores”.

Após as intervenções, seguiu-se a imposição de condecorações a militares e civis e homenagem aos mortos em combate. Um dos pontos altos da cerimónia foi o desfile das forças em parada, altura em que quatro aeronaves F-16 sobrevoaram a Praça do Giraldo.

Atualizado em: 24-09-2018 10:37 
QUEM SOMOS CONTACTOS MAPA DO SITIO
Desenvolvido por ATASA, Centro de Dados da Defesa/SG/MDN @ 2012 Defesa Nacional - Optimizado para Internet Explorer