Saltar para o conteúdo principal
HOME
ATUALIDADE
MULTIMÉDIA
LIGAÇÕES
RESERVADO
INSTITUCIONAL
Defesa entrega a chave do Forte de Santo António ao Município de Cascais 
 
 
O Secretário de Estado da Defesa Nacional e o Presidente da Câmara Municipal de Cascais celebraram um protocolo que estabelece que a autarquia passa a assegurar a manutenção e limpeza das instalações do Forte de Santo António do Estoril

O Secretário de Estado da Defesa Nacional, Marcos Perestrello, e o Presidente da Câmara Municipal de Cascais, Carlos Carreiras, celebraram, esta terça-feira, 13 de março, um protocolo que estabelece que a autarquia passa a assegurar a manutenção e limpeza das instalações do Forte de Santo António do Estoril, podendo aí realizar atividades pontuais para a população.

Durante a cerimónia que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho, o Secretário de Estado defendeu que as “autarquias assumem-se muitas vezes como um parceiro absolutamente indispensável e essencial para a gestão do património”, admitindo que “o Estado Português nem sempre é capaz de zelar convenientemente pelo extenso património que tem”.

“A gestão do património é precisamente um dos eixos centrais do processo de descentralização que o Governo tem procurado vir a implementar e que está numa fase cremos bastante adiantada em sede parlamentar” declarou o Secretário de Estado.

Para Carlos Carreiras, a assinatura deste protocolo vai permitir que a Câmara de Cascais comece a definir “o projeto daquilo que será no futuro a utilização do Forte de Santo António do Estoril” e consiga dinamizar atividades, permitindo a fruição do imóvel pela população.

De acordo com o presente protocolo, que é válido pelo prazo de 1 ano, a Câmara de Cascais fica responsável pela “desmatação”, “limpeza”, “segurança”, “manutenção” e “dinamização de atividades”, assim como por desenvolver os estudos de recuperação e requalificação do edificado histórico-patrimonial.

Construído durante a época da Dinastia Filipina, o Forte de Santo António do Estoril, também conhecido por Forte de Salazar, teve um papel relevante no âmbito da Restauração da Independência (1640), constituindo um ponto importante do sistema de defesa marítima de Lisboa. Durante o Estado Novo, foi residência oficial de férias de Salazar.

Atualizado em: 27-03-2018 15:28 
QUEM SOMOS CONTACTOS MAPA DO SITIO
Desenvolvido por ATASA, Centro de Dados da Defesa/SG/MDN @ 2012 Defesa Nacional - Optimizado para Internet Explorer