Saltar para o conteúdo principal
HOME
ATUALIDADE
MULTIMÉDIA
LIGAÇÕES
RESERVADO
INSTITUCIONAL
Apresentação do livro “O 25 de abril no futuro da democracia”: o combate democrático continua em aberto 
 
 
A Secretária de Estado, Dra. Ana Santos Pinto, marcou hoje presença na apresentação do livro “O 25 de abril no futuro da democracia”, de Álvaro Vasconcelos
 

A Secretária de Estado, Ana Santos Pinto, marcou hoje presença na apresentação do livro “O 25 de abril no futuro da democracia”, de Álvaro Vasconcelos.

A cerimónia de apresentação, que decorreu no Centro Nacional de Cultura, em Lisboa, contou com Teresa de Sousa (jornalista do Público) como moderadora, e ainda com as intervenções de Guilherme d’Oliveira Martins (Centro Nacional de Cultura), de Luís Moita (Diretor do Departamento de Relações Internacionais da UAL), de José Pedro Leite (editor) e do autor.

Neste livro, Álvaro Vasconcelos revisita o 25 de abril de 1974 e, antecipando as comemorações dos 60 anos da revolução em 2034, apresenta dois cenários alternativos extremos, “o colapso da União Europeia, como espaço de liberdade, e o seu ressurgimento, como ator maior da defesa dos direitos fundamentais, justiça social e preservação da vida na Terra”.

Numa época em que as democracias estão a ser desafiadas, como afirmaram os oradores, é importante olhar para a única revolução do século XX que começou e terminou bem, o 25 de Abril em Portugal, e daí tirar elações.

A jovem democracia portuguesa, nas palavras do autor, tem resistido melhor ao nacional-populismo do que outras saídas da terceira vaga democrática e merece por isso uma análise aprofundada.

Esse foi o trabalho levado a cabo por Álvaro Vasconcelos que, na sua intervenção, lembrou que a revolução não deve ser vista como uma coisa do passado porque há riscos muito atuais e o combate democrático continua em aberto. “Pode-se ser revolucionário e democrático”, afirmou.

O editor, que situou a origem da ideia deste livro numa conferência dada pelo autor em Havana, destacou o pensamento humanista do livro como um dos fatores que mais lhe agradou, “é o humanismo que reveste as ações políticas”, e não o contrário.

Depois das intervenções, seguiu-se um breve debate em que a plateia presente na apresentação pode também intervir.

Atualizado em: 10-05-2019 10:39 
QUEM SOMOS CONTACTOS MAPA DO SITIO
Desenvolvido por ATASA, Centro de Dados da Defesa/SG/MDN @ 2012 Defesa Nacional - Optimizado para Internet Explorer