Saltar para o conteúdo principal
HOME
ATUALIDADE
MULTIMÉDIA
LIGAÇÕES
RESERVADO
INSTITUCIONAL
Autorizada abertura de 26 vagas para ISN em 2016 
 
 
O Ministério da Defesa Nacional preparou um diploma para o Conselho de Ministros em que é autorizada a abertura de concurso para a admissão de trabalhadores de salvaguarda da vida humana no mar.
 

O Ministério da Defesa Nacional, estrutura do Governo que tutela o Instituto de Socorros a Náufragos, preparou um diploma para o Conselho de Ministros sobre a economia do mar em que é autorizada a abertura de concurso para a admissão de trabalhadores de salvaguarda da vida humana no mar, sendo 16 para a carreira de embarcação salva-vidas - pessoal de convés - e 10 para a carreira de motorista de embarcações salva-vidas.

Fica igualmente autorizada a abertura novos concursos para o ingresso de trabalhadores para o preenchimento de 22 vagas em 2017,- sendo 14 para pessoal de convés e 8 para motorista-  e ainda de 20 vagas para 2018 - sendo 12 para pessoal de convés e 8 para motorista.

Nos últimos 6 anos, e no âmbito da Autoridade Marítima Nacional (AMN), em especial das Capitanias dos Portos e das estações salva-vidas de si dependentes, foram realizadas, em ações de assistência e socorro a náufragos, 1515 saídas de emergência, tendo sido salvas 394 vidas e assistidas 2564 pessoas. Foram ainda salvas 138 embarcações, e assistidas mais 903 embarcações que se salvaram.

 

Uma carreira vivida em esforçados perigos, merece reconhecimento

O Ministério da  Defesa Nacional reconhece a especificidade da carreira do pessoal que exerce funções na área da salvaguarda da vida humana no mar.Com o objetivo de valorizar aqueles que a exercem em ambiente muito adverso e perigoso, com disponibilidade total de horário e risco da própria vida, estão-se a desenvolver estudos para a criação de uma carreira especial, que deverá estar, aquando da revisão geral das carreiras especiais em 2018.

Ainda assim a Autoridade Marítima Nacional apresentou, criteriosamente, um plano de necessidades de pessoal até 2018 por forma a colmatar a acentuada escassez de recursos especializados em salvamento marítimo costeiro e socorro a náufragos. A prolongar-se esta situação de envelhecimento e exaurimento dos quadros comprometeria esta importantíssima obrigação do Estado.

Verificou-se que, através de consulta efetuada em outubro de 2015 à Direção-Geral da Qualificação dos Trabalhadores em Funções Públicas, não existem trabalhadores com vínculo público com condições e o perfil necessários ao preenchimento de postos de trabalho no âmbito funcional do salvamento marítimo costeiro e socorro a náufragos e por isso se recorreu a recrutamento publico.

O facto de, morfologicamente, Portugal ter uma longa linha de costa com cerca de 2.447 km de comprimento, incluindo as Regiões Autónomas, é propiciador para o desenvolvimento das mais diversas atividades ligadas à economia do mar, de que se destacam, além das atividades mercantis, as marítimo-turísticas, a pesca, a náutica de recreio, bem como outras que se perspetivam no âmbito do aproveitamento das novas energias, essenciais para uma maior dinâmica e sustentabilidade da economia nacional.

 

Documentação de Suporte:

Comunicado do Conselho de Ministros sobre Economia do Mar de 3 de Março de 2016.

Convenção Internacional para a Salvaguarda da Vida Humana no Mar (SOLAS) de 1974.

Convenção Internacional sobre Busca e Salvamento Marítimo (SAR), de 1979.

Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar (CNUDM), de 1982,

 

Para esclarecimentos adicionais, por favor contacte:

Paulo Lagarto

+351 91 355 66 44

Atualizado em: 16-03-2016 11:49 
QUEM SOMOS CONTACTOS MAPA DO SITIO
Desenvolvido por ATASA, Centro de Dados da Defesa/SG/MDN @ 2012 Defesa Nacional - Optimizado para Internet Explorer