Saltar para o conteúdo principal
HOME
ATUALIDADE
MULTIMÉDIA
LIGAÇÕES
RESERVADO
INSTITUCIONAL
“IUM prepara homens e mulheres para os caminhos da estabilidade, segurança e paz” 
 
 
Ministro da Defesa, José Alberto Azeredo Lopes. presidiu à Abertura Solene do Ano Letivo do Instituto Universitário Militar, em Lisboa
 

O Ministro da Defesa Nacional, José Alberto Azeredo Lopes, presidiu à cerimónia de abertura solene do ano letivo 2016/2017 do Instituto Universitário Militar, que teve lugar no auditório “General Ivens Ferraz” do instituto, em Lisboa, na terça-feira, 22 de novembro e contou com a presença do Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas, General Pina Monteiro, e do Secretário de Estado da Defesa Nacional, Marcos Perestrello.
Durante a cerimónia de abertura do ano letivo, o Ministro da Defesa Nacional sublinhou a importância da instituição “para a consecução de um Ensino Superior Militar português organizado e moderno”, através de “uma mais apropriada e sólida formação dos quadros das Forças Armadas e da GNR”. O Ministro da Defesa enalteceu a missão do Instituto Universitário Militar, que visa “preparar homens e mulheres para os caminhos da estabilidade, da segurança e da paz, sempre numa perspetiva interdisciplinar e multidimensional, congregando conhecimentos, visões estratégicas e capacidades de ação nos múltiplos domínios da Defesa e da Segurança”.

Para o Ministro da Defesa, “hoje podemos usar com mais consciência e meios o Ensino Superior Militar para reafirmar o primado do ser humano num contexto global de relação com outros povos; podemos humanizar a tecnologia que nos protege das ameaças e dos riscos internos e externos. O IUM, estou certo, vai continuar a facilitar, através do Ensino, da Investigação e da Educação a realização de quem aqui ensina, investiga e estuda, incitando cada um a assumir os seus deveres e a executar as suas tarefas, sem prejuízo de uma verdadeira liberdade intelectual”.

Azeredo Lopes aproveitou ainda a oportunidade para afirmar que o défice programado pelo Governo para 2016 será cumprido, apesar de ter sido um ano “muito exigente e em que a escassez de recursos disponíveis é a regra e não – infelizmente – a exceção”. O Ministro enumerou aspetos positivos conquistados durante 2016 no setor da defesa, destacando “a reposição salarial dos militares e civis, servidores do Estado nas Forças Armadas; a garantia da admissão e promoções num quadro normal; a reposição da garantia da salvaguarda de direitos adquiridos ao nível das pensões; o estabelecimento de um processo de avaliação de mérito comum transversal aos três Ramos das Forças Armadas e um impulso à modernização pelo lançamento de contratos no quadro da Lei de Programação Militar”. O ministro referiu ainda um reforço de dotação das Forças Nacionais Destacadas para 2017,  de modo a permitir às Forças Armadas 2cumprir as missões de que sejam incumbidas fora do território nacional, ao serviço do País e dos seus cidadãos nas Missões Humanitárias e de Paz em diversos teatros de operações”.

A sessão solene iniciou com as boas vindas do Comandante do Instituto Universitário Militar, o Vice-almirante Edgar Bastos Ribeiro. Durante a sua intervenção, o responsável pela instituição fez o balanço do ano letivo anterior, destacando os 17 cursos ministrados, frequentados por cerca de 445 alunos, dos quais 376 nacionais e 79 estrangeiros. Anunciou para o ano letivo de 2017/2018 o Doutoramento em Ciências Militares, que “constituirá um grande desafio envolvendo não só docentes deste instituto, como também das suas unidades orgânicas autónomas”, acrescentou. 

O privilégio de proferir a primeira lição inaugural do Instituto Universitário Militar coube ao Tenente-coronel GNR Nuno Miguel Parreira da Silva. “As Forças Armadas e as Forças de Segurança no contexto da relação entre a cidadania e segurança” serviram de mote para uma reflexão sobre a perceção dos portugueses relativamente às Forças Armadas e de Segurança. O Tenente Coronel, também professor do IUM, destacou a importância de se analisar e relacionar “os conceitos de cidadania, segurança e confiança, sobretudo as suas tendências atuais e futuras e o quanto influenciam e podem determinar a conceção e implementação das políticas públicas”.

Atualizado em: 03-01-2017 10:50 
QUEM SOMOS CONTACTOS MAPA DO SITIO
Desenvolvido por ATASA, Centro de Dados da Defesa/SG/MDN @ 2012 Defesa Nacional - Optimizado para Internet Explorer